Publicado por: José Irineu Nenevê | 25/04/2018

Ano IX – 25/abr

“Tudo começou a dar certo, quando eu parei de pedir chorando e passei a agradecer sorrindo” (Patrícia Sales, frase na internet).

Nosso coração se abre quando aprendemos a agradecer. De certa forma, quando agradecemos, deixamos de ser prepotentes e reconhecemos com humildade que fomos agraciados pela bondade do amor. Quando nosso eu se emperra em só reclamar ele se assemelha a um conjunto mecânico travado que insiste e não ceder, mas quando aplicamos um “desengripante” todo conjunto cede e tudo volta a funcionar. O agradecimento é como o fluído desengripante que consegue destravar nosso egoísmo. Jesus curou dez leprosos e só um soube agradecer, e sua atitude foi elogiada (Lucas 17). No dia de hoje, quantas vezes eu já agradeci? Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Anúncios
Publicado por: José Irineu Nenevê | 24/04/2018

Ano IX – 24/abr

 “Procrastinação é decidir ir, querer ir, ter de ir, mas ficar se enrolando nas despedidas. Pior é achar que são os outros que não o deixam ir” (frase do PENSADOR na internet citada por Asmóteles de Pléon).

Procrastinar é “enrolar”, em outras palavras, é jogar para frente o que deve ser feito agora. Pode ser causado por medo ou ansiedade diante da insegurança do devir. Por exemplo: Diante de um piso translúcido, ficar com medo de dar um passo. O problema não está no piso, está na “cabeça” que impede de avançar, pois seu medo impede de perceber que entre o seu pé e o chão existe um piso, só que transparente. Diante do que temos que fazer, ficamos com medo do que poderá acontecer, sem perceber que entre seu dever e a tarefa concluída está sua capacidade de realização que age como o piso transparente que te dará segurança naquilo que se propõem a fazer. Tudo depende da confiança em sua capacidade e da decisão firme de dar mais um passo com segurança. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Publicado por: José Irineu Nenevê | 23/04/2018

Ano IX – 23/abr

“Quando mostras profunda empatia com os outros, a sua energia defensiva vai para baixo, e a energia positiva substitui-a. É aí que vais obter maior criatividade na resolução de problemas” (Stephen Richards Covey, consultor e autor motivacional americano, 1932-2012).

O primeiro ponto para um diálogo construtivo é retirar as barreiras que nos separam. A palavra “empatia” vem do grego “emphatéia”, significando a capacidade psicológica de sentir o que outra pessoa sente caso estivesse nas mesmas condições. Logo a empatia não é para todos e nem é de todos, faz parte de um processo de crescimento interior quando estamos preocupados com os outros e temos grande cuidado em não ferir seus sentimentos. De certa forma é um deslocar-se até o lugar do outro para ver com seus olhos e compreender suas reações. Com este conhecimento podemos ajudar; se for o caso, a expandir seus horizontes na compreensão do mundo que nos cerca. No fundo todos nós temos nossas fragilidades e necessitamos uns dos outros para construirmos um relacionamento sadio entre as pessoas. Mesmo em casa, com as pessoas que convivemos, necessitamos de atenção as pequenas coisas, pois o que parece sem importância para nós, pode ser de grande importância para o outro. Entenda primeiro antes de falar. Stephen também nos diz: “Entre o que acontece comigo e minha reação ao que acontece comigo, há um espaço. Neste espaço está minha capacidade em escolher minhas respostas e definir meu destino”. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Publicado por: José Irineu Nenevê | 20/04/2018

Ano IX – 20/abr

“Nunca te fixes nos defeitos dos outros, mas deves estar sempre pronto para desculpá-los” (Inácio Lopes ou Santo Inácio de Loyola, religioso espanhol, fundador dos Jesuítas, 1491-1556).

Quem se fixa em buscar defeito nos outros acaba expondo seus próprios defeitos. Jesus ao defender a mulher acusada de adultério faz uma multidão recuar apenas com uma frase: “quem estiver sem pecado atire a primeira pedra”, ou seja, antes de acusar o outro examina tua consciência. Sim, enquanto caminhamos nesta vida estamos sujeitos a cometer erros, e devemos aprender com nossos erros para evitar repeti-los, corrigindo onde falhamos. Ao ter consciência de nossas limitações somos mais condescendentes para com os erros alheios. Vale o ditado, “se pega mais moscas com uma gota de mel do que com um barril de fel”, isto é, ao ajudar o outro seja dócil como mel e conquistarás um aliado, pois sendo rude para com os seus defeitos poderás ganhar um inimigo. Lembre-se que uma peça pode ser observada de muitos ângulos, então antes de dizer que o outro está errado, procure entender de qual ângulo ele está observando e com “carinho e docilidade” mostrar outras formas de ver a mesma peça. Estamos caminhando juntos e aprendendo com a vida e algumas divergências podem nos ajudar a aprimorar nosso conhecimento e a estreitar os laços de amizade. Quando estamos desarmados de preconceitos e dispostos a ajudar; nós também aprendemos. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Publicado por: José Irineu Nenevê | 19/04/2018

Ano IX – 19/abr

“Eu sou cristão não só de palavras, mas de fato. E meu maior desejo é o de dar minha vida em testemunho da minha fé em Cristo” (Santo Apolônio de Roma, filósofo e senador romano, 161-192).

Sem Jesus a vida fica sem sentido. Apolônio viveu praticamente no tempo imediatamente após a morte dos apóstolos quando o mundo de então via o numero crescente de conversões ao cristianismo e as autoridades apavoradas queriam a todo custo varrer a fé em Jesus da face da terra através da morte a seus seguidores e destruição de suas memórias. “O sangue dos mártires era semente de novos cristãos”, mas eles não temiam a morte. Os contemporâneos de Apolônio indagavam: “Porque um homem da envergadura do Senador Apolônio abraçou a fé cristã, uma fé proibida pelo imperador?” Mas ele respondia: “A verdade mais profunda e o verdadeiro sentido da vida só se encontra em Jesus Cristo”. Diante da condenação a morte por decapitação ele afirmou: “Há algo melhor esperando por mim: a vida eterna, dada a quem viveu bem na terra”. Nos dias de hoje temos novas ondas de perseguição a fé em Cristo. Em alguns estados radicais continuam os martírios, mas na maioria dos lugares a apostasia se infiltrou nas consciências relativizando tudo, dando um sentido ateu para fé que duvida até da existência de Deus. O sangue dos mártires do cristianismo clama aos céus por uma fé autentica em Jesus Cristo. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

Links:
Facebook: http://www.facebook.com/bomdiaebomtrabalho
twitter: http://twitter.com/irineuneneve
Blog: https://bomdiaebomtrabalho.wordpress.com/
Leia o Livro: BOM DIA E BOM TRABALHO, sabedoria para todos os dias. Ed VOZES.

Publicado por: José Irineu Nenevê | 18/04/2018

Ano IX – 18/abr

“Quando um verdadeiro gênio aparece no mundo, ele pode ser reconhecido por este sinal: todos os tolos são conjurados contra ele” (Jonathan Swift, doutor em teologia e escritor irlandês, 1667-1745).

A maioria dos que se destacaram em diversos campos do conhecimento tiveram uma oposição dos que invejavam suas “descobertas”. O próprio Jesus disse que um “profeta” não é reconhecido em sua própria casa (Mc 6:4). Talvez porque seu conhecimento supere o trivial das pessoas e estes por serem incapazes de atingirem a dimensão de sua genialidade, o atacam baseados em pormenores de conceitos antigos. Mesmo no mundo político encontramos fatos semelhantes. Quando aparece alguém com ideias que se apresentam como soluções de muitos problemas, e estas encontram eco na sociedade, os detentores do “poder” se articulam para derrubá-los por se sentirem ameaçados. Quem se encontra na zona de conforto do “poder” quer mais que tudo permaneça como está. Como, com o passar do tempo, manipularam “leis e regras” para não serem atingidos, tendo ao seu lado instrumentos formadores de opinião, eles atacam os adversários com estas “armas”. Sem o apoio das pessoas que pensam os “gênios” são derrotados por quem tem o “poder” em suas mãos. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Publicado por: José Irineu Nenevê | 17/04/2018

Ano IX – 17/abr

“Os preguiçosos sempre falam sobre o que planejam fazer, do que farão; os que realmente fazem alguma coisa não perdem tempo com conversa, pois tem muito que fazer” (Johann Wolfgang Goethe, poeta e dramaturgo alemão, 1749-1832).

Preguiça é uma opção de vida. Faz parte dos sete pecados capitais, ou seja, estão na raiz de muitos outros males. Preguiça é uma disposição para nada fazer e ainda achar desculpas. Alem disso vem a prostração de fazer tudo com lentidão. No livro dos provérbios (20:4), diz que o preguiçoso não ara o terreno no momento correto, mas na colheita procura e nada acha. Todo mundo se cansa de igual maneira e todos têm a mesma dificuldade de vencer a inércia matutina e sair da cama, mas o preguiçoso sempre quer ficar mais um minutinho e quase sempre acaba perdendo o horário. Isto é falta de vencer a si mesmo e cede a tentação. Quem começa cedendo no pouco acaba no muito. Ao menor sinal de preguiça mostre para o seu corpo quem é manda; você ou a tentação? Deve ser você, pois se deixar passar logo ela controlará todas as suas ações. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Publicado por: José Irineu Nenevê | 16/04/2018

Ano IX – 16/abr

“A maior doença nos dias de hoje não é a lepra ou a tuberculose, mas sim o sentimento de abandono, de não sentir-se amado, nem cuidado e abandonado por todos” (Madre Tereza de Calcutá, religiosa católica de origem albanesa, 1910-1997).

O sentimento do abandono independe de lugar, pois se encontra no íntimo do coração. Quando a pessoa (ou animal) se sente acolhido pelos seus, tem a sensação de força mesmo estando fraco, pois o que falta em si recebe do outro pelo carinho ou proximidade. No reino animal, os predadores procuram os mais afastados do grupo para atacar, pois enquanto está unido, ninguém consegue destruir. Por isso o abandono é cruel, destrói a força da união e solidariedade, e deixa a pessoa a sua própria sorte, e se sentido abandonada não oferece resistência ao “inimigo”. Quantos abandonados estão no meio de famílias ou grupos religiosos e ninguém se dá conta, pois imaginam que só nas ruas se encontram abandonados. Há mais companheirismo entre os moradores de ruas do que em muitos outros lugares. Não permita que alguém se aproxime de ti saia sem ao menos receber um sorriso. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Publicado por: José Irineu Nenevê | 13/04/2018

Ano IX – 13/abr

“Quando não há descanso em si mesmo, é inútil procurá-lo em outro lugar” (François de La Rochefoucauld, escritor francês, 1613-1680).

O intervalo também faz parte do tempo. No livro do Gênesis (2,2) relata que no sétimo dia Deus descansou, ou seja, concluiu o seu trabalho e fez uma pausa. Mais que um relato cronológico de acontecimento, este versículo é didático, isto é, quer nos ensinar que há um momento de parar para que tudo em nós se harmonize novamente. Nós temos medo de parar e emendamos trabalho com baladas, filmes, aplicativos de celulares etc. sem darmos o devido descanso para nós mesmos. Este comportamento acaba gerando uma série de transtornos mentais. De nada adianta viajar em férias se em outro lugar não conseguimos parar e deixar que corpo e mente se restabeleçam. Um dia sucede a noite nos ensinando que tudo faz parte do mesmo conjunto, ou seja, o descanso não é perda de tempo, faz parte do tempo e nos permite recomeçar com mais energia e sem stress. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Publicado por: José Irineu Nenevê | 12/04/2018

Ano IX – 12/abr

“Atitudes são mais importantes que aptidões” (Winston Churchill, político britânico, 1874-1965).

Quem espera não faz e quem faz não espera. Existe um ditado popular que diz: “De boas intenções o inferno está cheio”, em outras palavras, muitos dizem que vão fazer isso ou aquilo, mas tudo só fica na promessa, no momento de agir inventam mil desculpas e não fazem nada. Muitas vezes são pessoas capacitadas, que teriam condições de ajudar e muito, mas a covardia fala mais alto na hora de agir. Quem trabalha no campo da saúde sabe bem que uma vida pode ser salva com prontas atitudes, pois o tempo faz uma diferença enorme. Se um bombeiro não tem atitude de apagar o fogo, o incêndio se alastra. O mesmo acontece em diversos campos da vida humana. Não fique esperando que o outro tome a iniciativa, tenha atitude e aja, pois se o “destino” te colocou ali, também espera de você uma atitude. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve).

Bom Dia!
(22 anos)

 

Older Posts »

Categorias